Adoras desenhar?Os Tokio Hotel?Fazes bonecos de cada elemento da banda?Mostra no TokioHotelFanartist as tuas artes 'bout them!
 
InícioInício  PortalPortal  FAQFAQ  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  LoginLogin  

Compartilhe | 
 

 1000 oceans

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
AngeL



Mensagens : 16
Data de inscrição : 17/11/2008
Idade : 31

MensagemAssunto: 1000 oceans   Seg Nov 17, 2008 5:16 pm

Sumary:Esta OS não contém caractar sexual nem contiudos sujectiveis.
Trata-se de um romande/drama, que onvolve várias emoções, e pretende transmitir ao leitor uma mensagem.
Espero que gostem.

beijos


1000 Oceans


Um dia disseram-me que devíamos sempre lutar por aquilo que acreditamos.. mas a vida por vezes, não nos sorri como gostaríamos.

Era mais um dia de Inverno, e a tua presença era cada vez mais notória, porquê??
- pergunto a mim mesmo, vezes sem conta, porquê que não podemos ficar juntos.
A fama e o dinheiro, parecem tão pouco, perto deste sentimento, não a nada que pague o carinho, dedicação, admiração que sinto por ti..

A cortina da minha cama, está entre aberta, consigo ver pela clarabóia o céu estrelado, enquanto viajo no tourbus, ao meu lado, na cama mais próxima está o Tom deitado, já dorme a largas horas devido ao cansaço, e eu continuo assim, limitando-me a escrever, sem conseguir dormir.

Olho para aquelas estrelas, parecem tão longe, tão impossíveis de alcançar, um sentimento parecido aquele que sinto por ti, o de perda e incapacidade de novo apodera-se de mim, penso quase por loucura, será que estarás a observar a mesma estrela que eu, a mesma lua..
Um suspiro longo trás me de volta a realidade, apenas queria ter um ponto comum, algo que me fizesse estar mais perto de ti.

Cada vez que me lembro da primeira vez que te vi, de como te mostraste envergonhada, de como a nossa amizade surgiu espontaneamente, e de como aquele primeiro beijo foi importante para ambos.

Sentir os teus lábios nos meus, o toque da tua pele suave na minha.

Cada recordação, só me faz ter mais vontade de deixar tudo para trás e ficar contigo, mas sei que não o posso fazer, seria demasiado egoísmo da minha parte para com a banda e equipa, até porque tal como eu, eles também deixaram família, amigos e pessoas que amam para trás.

Ontem quando cantei a 1000 Oceans em Los angels, lembrava-me de ti, de quando te disse adeus antes de partir…

Empty streets
I follow every breath into the night
The wind so cold
The sun is frozen
The world has lost its light
I carry your picture
Deep in me
Back to you


Não sabias que possuía comigo sempre a nossa fotografia, daquele dia em que comemoramos 6 meses de namoro, e fomos jantar naquele local lindo, há luz das velas, apenas nós, aquela imensa explanada, numa noite quente de Verão, sobre um céu estrelado.

Estavas simplesmente linda, o sorriso .. o brilho do teu olhar..
Trazias aquele vestido branco que te tinha oferecido, com uma simples rosa no punho, extremamente delicada.

Naquela noite, em que pertencemos um ao outro formando apenas um corpo, sei e posso dize-lo que te amei como nunca.

Volto de novo a realidade, tenho que me obrigar a mim próprio a descansar e dormir, os primeiros raios de Sol surgem pela clarabóia e devemos estar próximos da próxima cidade que iremos actuar.


No dia seguinte após uma entrevista, pedi ao Tom, para me acompanhar até a praia após almoçarmos.

Queria ter alguém para falar, partilhar esta dor.

Fiquei ali deitado, enquanto o meu irmão apanhava banhos de sol, por momentos apeteceu-me de novo largar tudo, e atravessar aquele imenso oceano só para estar perto de ti.


We have to go 1000 oceans wide
1000 dark years when time has died
1000 stars are passing by
We have to go 1000 oceans wide
1000 times against an endless tide
We'll be free to live our life


Foi naquele momento que decidi que te queria para mim, que não queria sofrer mais, que este amor iria deixar de ser um amor impossível, como tantas vezes escrevo nas minhas musicas, eu vou e quero estar contigo, lutarei por ti, por este sonho que me mantém vivo.

Dali a duas semanas partiria para a Alemanha, a tour na América tinha acabado, e iríamos gravar o próximo album, aqueles dias pareciam intermináveis, mas só de pensar que estaria perto de ti, após quase um ano e meio, deixavam-me com um sorriso estúpido nos lábios.

O meu coração quase saltava pela boca, de tantos nervos…gotttt…pensei.

Gustav e Georg aproximam-se de mim, eles sabiam a razão da minha ansiedade, de repente trouxeram-me de novo a realidade.
- Bill, já passou um ano, desde que vocês acabaram, tens noção que ela pode ter seguido em frente com a vida dela não tens..
- Eu dizia sim, mas na verdade nem queria acreditar nisso, eu pensava que o que nos unia era mais forte, do que o tempo, e que de certa forma ela esperaria por mim.

Tom olhava-me de lado, eu sabia o que ele queria dizer mesmo sem palavras, estás nunca foram necessárias entre nós.
Eu sabia no fundo que eles tinham razão, mas a minha vontade era tanta que limitava-me a ignorar.

Chegamos, finalmente chegamos, saímos do avião e fomos para a carrinha que nos levaria ao Hotel.

Olhei de novo para a tua foto, e pensei..amanha meu amor, amanha estarei de novo contigo, poderei ter-te em meus braços.

Na manhã seguinte lá estava eu perto da tua casa..

Estavas a sair do carro, linda como sempre, levavas o saco das compras, e vejo que o homem te abre a porta de casa, dás-lhe um beijo na face, e uma criança aparentemente com um ano de idade, surge a gritar por ti.

- Mamamm.. – dizia a criança, enquanto corria e a colocavas nos teus braços.

Aquela imagem fez o meu mundo desmoronar-se.


Não ..ela não, não podia ser, aquele homem, a criança, eles tinham razão..

Eu encontrava-me do outro lado da rua, ao pé de um carro, assim que vi, só me apetecia fugir, bati mesmo nos baldes do lixo, que lá estavam, uma dor fazia o meu peito se contrair, eu só queria desaparecer daquele local.

Do outro lado da estrada, sem eu notar, ela repara na minha presença, provocada pelo barulho que eu faço, ao bater nos baldes do lixo.

Ela nem queria acreditar que era eu, acaba mesmo por deixar as compras no chão, e chamava por mim em procura de resposta, eu nem reparei, as lágrimas corriam agora na minha face, como quem derrama sangue da própria alma.

- Bill, és tu..Bill..volta!! – ela ainda disse, mas eu nem ouvi.

Corri para o Hotel, e dirigi-me a suite, pelo caminho, Saki repara no meu estado, e tenta falar comigo, mas em vão.
Ele sabia que havia apenas uma pessoa no mundo, com quem eu iria falar e pediu para que Tom, fosse ter comigo.
- Então Bill, que se passa?
- Ela Tom, ELA!!
- Bill, foste ter com a Sarah, que se passou??
(eu caio nos braços do meu irmão á procura de apoio)
- Ela Tom, eu nem acredito..casou, e tem um filho..eu vi Tom..eu vi..
- Calma Bill, eu sei que não é fácil mas nós estamos aqui..tu não estás sozin…
( e o Tom nem acabou a frase, eu levanto-me e desloco-me atribuladamente até ao bar do Hotel, Tom ainda tenta me impedir mas ele sabia que eu precisava do meu próprio espaço, por isso nada fez, simplesmente deixou-me ir..)

Entretanto, ela desconfia que era eu, e liga para o Hotel, ela sabia que frequentamos sempre os mesmos, por isso ligou para o Hotel, para ter a confirmação.

Naquele espaço de tempo, eu limitava-me a ingerir, álcool e mais álcool, as lágrimas continuavam a correr, sem parecer que teriam termo.

Comecei a falar sozinho, pensamentos e angustias, pouco me importava os presentes.

A vontade de desaparecer, era agora ainda maior, por isso foi até elevador do Hotel.

Entretanto, Sarah chega ao Hotel, pergunta pelo meu quarto e sobe até ao 8º andar, onde estava a minha suite.

- Abre Bill..sou eu a Sarah, preciso de falar contigo..abre..( bateu ela a porta do quarto)

Como não obteve resposta insistiu, na recepção tinha informado, que eu ainda estava no Hotel

- Abre Bill …abre..

A criança, que ela possui nos braços chorava agora, por conta do tom alto da sua voz.
Tom, que ouve as batidas na porta, resolve ver o que se passa, visto estar no quarto ao lado.

- Sarah, o que é que fazes aqui..
- Era o Bill não era?? que me estava a observar hoje, Tom preciso de falar com ele!!
- Pois, mas acho que ele não quer falar contigo, não achas que o fizeste sofrer demasiado, deixa-o..
- Tu não percebes, eu preciso mesmo falar com ele, ajuda-me por favor..
- Não Sarah, eu não quero e nem vou faze-lo ele não merece..

Tom olhava para ela, e para a criança que trazia nos braços, quando olha um pouco mais com atenção..e diz – Mas Sarah ele..

Ambos são interrompidos por Saki, que anda que nem um doido a procura de Bill, ele já não estaria no Bar, e a gerência do Hotel, já tinha informado os seguranças do seu estado alcoolizado.

Eu encontrava-me agora num miradouro do Hotel, a cerca de 5º andares do chão.

- Só te tenho a ti, só a ti.. pequeno copo, e ..

Eu só dizia frases sem anexo, já não via nada, apenas olhava para baixo e via partes do hotel e a piscina.

Os seguranças, Sarah e Tom, procuravam-me agora até que lá de baixo de uma das salas, Sarah vê-me no miradouro, a reacção que teve foi de pedir ao Tom, que segura-se no bebe, e correu até ao exterior.

Tom, ficou com a criança nos braços, sem perceber, mas ao vê-la correr na minha direcção apercebe-se, e começa a correr na direcção de ambos.

Ela lá de baixo começa a gritar por mim, eu encontrava-me numa das extremidades, do miradouro.
- Bill, sai dai..
- Olha quem é ela, a traidora..
- Bill sai dai, precisamos de falar..
- Falar, queres falar, pensas-te em dizer-me alguma coisa, antes de andares com outro..
- Espera Bill, deixa explicar..
- Explicar o quê.. diz-me ..que mal virei as costas ficas-te com outro, até um filho tens!!!

Eu gritava com ela, a raiva e magoa que sentia eram maiores..

- Não Bill, não percebes, não foi..
- Cala-te não te quero ouvir, desaparece..


Eu gritava e movia-me naquele pequeno espaço do miradouro, entre o varão de ferro, e um nada, uma queda através de 5 andares, me separavam do chão.

- Bill, tem cuidado, por favor, ainda cais ..sai dai..
- Desaparece, sai daqui, não te quero ver mais..
- Bill tem cuidado , B..

Ela nem acabou de dizer a frase, os meus movimentos descontrolados, faziam me agora perder o equilíbrio, e cair naquele Nada.

- Billl………!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! – Sarah gritava mas em vão.

Tom que carregava agora o bebe, estava próximo da piscina, onde o meu corpo tinha caído.

A sua aflição ao tentar salvar-me faz com que dê a criança a Sarah e atira-se para dentro da piscina.

O meu corpo encontrava-se no fundo, sem vida, e ele apenas pensa em salvar-me e tirar-me dali.

Tom sempre foi um irmão muito protector, toda a sua vida esteve ao meu lado, mesmo agora na hora da minha morte.

Ele mergulha sem pensar, nem mesmo em si próprio, ele já estava aflito, sem respirar mesmo assim, só voltou a superfície com o meu corpo.

- Bill, aguenta te Bill..
Dizia aquelas palavras, enquanto me arrastava até a margem da piscina, lá em cima estava Sarah que o ajudou a pôr-me a beira da piscina.

- Bill, por favor, volta..
Ela abana o meu corpo, a espera de encontrar um rasto de vida, mas em vão.
Eu não reagia, a nada ate que o bebé começa se a aproximar de ambos levando ela afasta-lo com palavras mais calmas:
- Não , Andrew, não.. não vejas o papa assim, ele vai ficar bom..a mamã cuida dele..

Tom, vê as suas suspeitas confirmadas, ele tinha reparado, que a criança tinha o mesmo sinal de nascença que Bill, e fisicamente eram parecidos.

Naquela hora apenas preocupava salvar Bill, e ele não disse nada.
Saki chega ao local com a equipa de paramédicos, e começam logo a efectuar massagem cardíaca.

O meu corpo, voltava a não reagir, até que ela começa a chorar junto de mim.

Ela agarrava o meu corpo magro e frágil, os médicos diziam que não havia nada a fazer.

- Menina por favor, deixe os médicos, infelizmente já não a nada a fazer…
- Não, não, EU NÃO O VOU PERDER LARGUEM ME..
- Bill ( ela agarrava-me)eu sei que tu me estás a ouvir, eu..( ela chorava e falava desesperadamente), eu nunca te trai Nunca…
Eu ainda te amo, sempre vou te amar, não me deixes por favor, por mim, por NÓS , pelo nosso filho..( diz estas palavras e cai sobre o meu peito sem forças)

Tom ficava preplexo a assistir a toda a está cena, apenas teve tendência em proteger o pequeno Andrew, como se do próprio Bill se trata-se.

De repente, sem explicação, um sopro de vida passa por mim, voltando-me a fazer respirar de novo.

Os médicos caiam sobre mim, colocando-me tubos, para que aquele rasto de vida, não se apaga-se.

Sarah olhava nos meus olhos, e chorava de alegria, ela apercebeu-se que eu a tinha ouvido, e que por eles quis voltar.
Uma lágrima cai-o do meu rosto, por entre as mascaras e tubos agora ligados a mim.

Já no hospital, desmaiei e só acordei passado umas horas.

Ela estava junto a mim, adormecida a segurar na minha mão, já deviam ter passado umas boas horas, e o cansaço falava mais alto.

Eu tento-me mexer ligeiramente, e ela acorda.

- Bill..tu acordaste..( ela faz um sorriso rasgado).

Eu tentei esboçar um sorriso, mas quase sem efeito, mesmo assim, ela percebeu,

- Bill, eu tenho que te explicar, aquele.. aquele homem não é meu marido, apenas um primo que veio da Suiça, e estava me a ajudar a cuidar do pequeno Andrew, ele…ele é teu filho.
Sei que o devia ter dito, mas não queria que abdicasses da tua carreira por nós, eu seria incapaz de destruir o teu sonho..

- Não..( disse eu com algum esforço e muito baixo),o meu sonho é estar contigo..eu..

Nisto entra o meu irmão Tom, com um sorriso, ao ver-me acordado, com o pequeno Andrew nos braços.

- Mano, tu estás bem?

Fiz sinal que sim, com a cabeça, e vejo o bebé a querer sair do colo do Tom, e a querer vir para junto de mim.

- Papaa..( dizia o pequeno Andrew, lançando-se agora para mim)

- Mas, como é que ele ..– ( perguntei eu dificilmente)

- Eu sempre lhe mostrei quem eras, tenho varias fotografias tuas pela casa, eu explicava, que o papa, estava a viajar, mas que um dia voltava.. – ( ela ia corando, a medida que me respondia).

- Mas tu sabias que eu podia não voltar.. – disse eu.

- Mas eu nunca te esqueci, cada vez que o Andrew sorria, cada vez que olhava para mim, era a ti, que eu via.. queria tanto ter te contado, mas não foi capaz.

O bebé estava agora no meu colo, sorria, os seus olhos rasgados eram tão espresivos como os meus.

Ele tocava-me com uma grande inocência e dizia . . papaaa..

Eu de inicio até estranhei, mas depois .. depois só me apetecia ficar assim para sempre, com ela..com a minha família.

Por isso fiz um esforço para me sentar na cama, o meu irmão ajudou-me, e assim fiz o que mais desejava.

- Sarah queres casar comigo?

By: AngeL


[right]


Última edição por AngeL em Sex Nov 21, 2008 10:41 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
*Nicki*



Mensagens : 28
Data de inscrição : 17/11/2008
Idade : 26
Localização : «3ιм нєяzєη νση вιℓℓ«3νιℓα ρσυ¢α ∂є αgυιαя«3мöη¢нєηgℓα∂вα¢н●αℓємαηнα, ѕσυ αℓємα^^*

MensagemAssunto: Re: 1000 oceans   Ter Nov 18, 2008 8:16 am

Amei*___*
escreves tao bem*___*
gostei mesmo muoto^^
passa pelas minhas e pela fic se quiseres^^

bussie Nicki
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://soninha-16.hi5.com
AngeL



Mensagens : 16
Data de inscrição : 17/11/2008
Idade : 31

MensagemAssunto: Re: 1000 oceans   Ter Nov 18, 2008 2:41 pm

Obrigada:) irei ver as tuas...hihii..

Se kiserem posto mais..tenho 2 fanfic, e mais de 10 oneshots já feitas... Embarassed

jinhosssssssssssss
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Indi



Mensagens : 20
Data de inscrição : 09/11/2008
Idade : 23
Localização : In mein Welt...

MensagemAssunto: Re: 1000 oceans   Ter Nov 18, 2008 4:58 pm

OHh :S
Tão lindaa...
eu estou a chorar Rolling Eyes Sad
gostei tanto Angel *.*
mesmo muitoo eu adoro estas OS que me tocam nos sentimentos...
Achei completaemente Original e criativa =D
Beijinhos querida =D
Quero mais GRAndees coisas assim =D
Kussi*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
AngeL



Mensagens : 16
Data de inscrição : 17/11/2008
Idade : 31

MensagemAssunto: Re: 1000 oceans   Ter Nov 18, 2008 5:37 pm

hooo n xores linda...gosto d escrever algo k emocione...tenho varias...posterei em breve..

jinhos enormes


Embarassed
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Catz Kaulitz



Mensagens : 57
Data de inscrição : 01/11/2008

MensagemAssunto: Re: 1000 oceans   Qua Nov 19, 2008 4:10 pm

Sabes adorei mesmo a tua OS *.*

Só te pedia era urgentemente para teres em consideração as regras :\
Na zona das OS's está lá um tópico a falar, respectivamente, sobre isso !
Por favor acede ao tópico, o que não custa ! é uma coisa de 5 frases, não muito grandes.

Caso não o faças, seremos obrigadas a eliminar o tópico :\


Obrigada,
Moderadora e Administradora: Catz Kaulitz
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
AngeL



Mensagens : 16
Data de inscrição : 17/11/2008
Idade : 31

MensagemAssunto: Re: 1000 oceans   Sex Nov 21, 2008 10:44 am

AngeL escreveu:
Sumary:Esta OS não contém caractar sexual nem conteudos sujectiveis.
Trata-se de um romande/drama, que envolve várias emoções, e pretende transmitir ao leitor uma mensagem.
Espero que gostem.

beijos


1000 Oceans


Um dia disseram-me que devíamos sempre lutar por aquilo que acreditamos.. mas a vida por vezes, não nos sorri como gostaríamos.

Era mais um dia de Inverno, e a tua presença era cada vez mais notória, porquê??
- pergunto a mim mesmo, vezes sem conta, porquê que não podemos ficar juntos.
A fama e o dinheiro, parecem tão pouco, perto deste sentimento, não a nada que pague o carinho, dedicação, admiração que sinto por ti..

A cortina da minha cama, está entre aberta, consigo ver pela clarabóia o céu estrelado, enquanto viajo no tourbus, ao meu lado, na cama mais próxima está o Tom deitado, já dorme a largas horas devido ao cansaço, e eu continuo assim, limitando-me a escrever, sem conseguir dormir.

Olho para aquelas estrelas, parecem tão longe, tão impossíveis de alcançar, um sentimento parecido aquele que sinto por ti, o de perda e incapacidade de novo apodera-se de mim, penso quase por loucura, será que estarás a observar a mesma estrela que eu, a mesma lua..
Um suspiro longo trás me de volta a realidade, apenas queria ter um ponto comum, algo que me fizesse estar mais perto de ti.

Cada vez que me lembro da primeira vez que te vi, de como te mostraste envergonhada, de como a nossa amizade surgiu espontaneamente, e de como aquele primeiro beijo foi importante para ambos.

Sentir os teus lábios nos meus, o toque da tua pele suave na minha.

Cada recordação, só me faz ter mais vontade de deixar tudo para trás e ficar contigo, mas sei que não o posso fazer, seria demasiado egoísmo da minha parte para com a banda e equipa, até porque tal como eu, eles também deixaram família, amigos e pessoas que amam para trás.

Ontem quando cantei a 1000 Oceans em Los angels, lembrava-me de ti, de quando te disse adeus antes de partir…

Empty streets
I follow every breath into the night
The wind so cold
The sun is frozen
The world has lost its light
I carry your picture
Deep in me
Back to you


Não sabias que possuía comigo sempre a nossa fotografia, daquele dia em que comemoramos 6 meses de namoro, e fomos jantar naquele local lindo, há luz das velas, apenas nós, aquela imensa explanada, numa noite quente de Verão, sobre um céu estrelado.

Estavas simplesmente linda, o sorriso .. o brilho do teu olhar..
Trazias aquele vestido branco que te tinha oferecido, com uma simples rosa no punho, extremamente delicada.

Naquela noite, em que pertencemos um ao outro formando apenas um corpo, sei e posso dize-lo que te amei como nunca.

Volto de novo a realidade, tenho que me obrigar a mim próprio a descansar e dormir, os primeiros raios de Sol surgem pela clarabóia e devemos estar próximos da próxima cidade que iremos actuar.


No dia seguinte após uma entrevista, pedi ao Tom, para me acompanhar até a praia após almoçarmos.

Queria ter alguém para falar, partilhar esta dor.

Fiquei ali deitado, enquanto o meu irmão apanhava banhos de sol, por momentos apeteceu-me de novo largar tudo, e atravessar aquele imenso oceano só para estar perto de ti.


We have to go 1000 oceans wide
1000 dark years when time has died
1000 stars are passing by
We have to go 1000 oceans wide
1000 times against an endless tide
We'll be free to live our life


Foi naquele momento que decidi que te queria para mim, que não queria sofrer mais, que este amor iria deixar de ser um amor impossível, como tantas vezes escrevo nas minhas musicas, eu vou e quero estar contigo, lutarei por ti, por este sonho que me mantém vivo.

Dali a duas semanas partiria para a Alemanha, a tour na América tinha acabado, e iríamos gravar o próximo album, aqueles dias pareciam intermináveis, mas só de pensar que estaria perto de ti, após quase um ano e meio, deixavam-me com um sorriso estúpido nos lábios.

O meu coração quase saltava pela boca, de tantos nervos…gotttt…pensei.

Gustav e Georg aproximam-se de mim, eles sabiam a razão da minha ansiedade, de repente trouxeram-me de novo a realidade.
- Bill, já passou um ano, desde que vocês acabaram, tens noção que ela pode ter seguido em frente com a vida dela não tens..
- Eu dizia sim, mas na verdade nem queria acreditar nisso, eu pensava que o que nos unia era mais forte, do que o tempo, e que de certa forma ela esperaria por mim.

Tom olhava-me de lado, eu sabia o que ele queria dizer mesmo sem palavras, estás nunca foram necessárias entre nós.
Eu sabia no fundo que eles tinham razão, mas a minha vontade era tanta que limitava-me a ignorar.

Chegamos, finalmente chegamos, saímos do avião e fomos para a carrinha que nos levaria ao Hotel.

Olhei de novo para a tua foto, e pensei..amanha meu amor, amanha estarei de novo contigo, poderei ter-te em meus braços.

Na manhã seguinte lá estava eu perto da tua casa..

Estavas a sair do carro, linda como sempre, levavas o saco das compras, e vejo que o homem te abre a porta de casa, dás-lhe um beijo na face, e uma criança aparentemente com um ano de idade, surge a gritar por ti.

- Mamamm.. – dizia a criança, enquanto corria e a colocavas nos teus braços.

Aquela imagem fez o meu mundo desmoronar-se.


Não ..ela não, não podia ser, aquele homem, a criança, eles tinham razão..

Eu encontrava-me do outro lado da rua, ao pé de um carro, assim que vi, só me apetecia fugir, bati mesmo nos baldes do lixo, que lá estavam, uma dor fazia o meu peito se contrair, eu só queria desaparecer daquele local.

Do outro lado da estrada, sem eu notar, ela repara na minha presença, provocada pelo barulho que eu faço, ao bater nos baldes do lixo.

Ela nem queria acreditar que era eu, acaba mesmo por deixar as compras no chão, e chamava por mim em procura de resposta, eu nem reparei, as lágrimas corriam agora na minha face, como quem derrama sangue da própria alma.

- Bill, és tu..Bill..volta!! – ela ainda disse, mas eu nem ouvi.

Corri para o Hotel, e dirigi-me a suite, pelo caminho, Saki repara no meu estado, e tenta falar comigo, mas em vão.
Ele sabia que havia apenas uma pessoa no mundo, com quem eu iria falar e pediu para que Tom, fosse ter comigo.
- Então Bill, que se passa?
- Ela Tom, ELA!!
- Bill, foste ter com a Sarah, que se passou??
(eu caio nos braços do meu irmão á procura de apoio)
- Ela Tom, eu nem acredito..casou, e tem um filho..eu vi Tom..eu vi..
- Calma Bill, eu sei que não é fácil mas nós estamos aqui..tu não estás sozin…
( e o Tom nem acabou a frase, eu levanto-me e desloco-me atribuladamente até ao bar do Hotel, Tom ainda tenta me impedir mas ele sabia que eu precisava do meu próprio espaço, por isso nada fez, simplesmente deixou-me ir..)

Entretanto, ela desconfia que era eu, e liga para o Hotel, ela sabia que frequentamos sempre os mesmos, por isso ligou para o Hotel, para ter a confirmação.

Naquele espaço de tempo, eu limitava-me a ingerir, álcool e mais álcool, as lágrimas continuavam a correr, sem parecer que teriam termo.

Comecei a falar sozinho, pensamentos e angustias, pouco me importava os presentes.

A vontade de desaparecer, era agora ainda maior, por isso foi até elevador do Hotel.

Entretanto, Sarah chega ao Hotel, pergunta pelo meu quarto e sobe até ao 8º andar, onde estava a minha suite.

- Abre Bill..sou eu a Sarah, preciso de falar contigo..abre..( bateu ela a porta do quarto)

Como não obteve resposta insistiu, na recepção tinha informado, que eu ainda estava no Hotel

- Abre Bill …abre..

A criança, que ela possui nos braços chorava agora, por conta do tom alto da sua voz.
Tom, que ouve as batidas na porta, resolve ver o que se passa, visto estar no quarto ao lado.

- Sarah, o que é que fazes aqui..
- Era o Bill não era?? que me estava a observar hoje, Tom preciso de falar com ele!!
- Pois, mas acho que ele não quer falar contigo, não achas que o fizeste sofrer demasiado, deixa-o..
- Tu não percebes, eu preciso mesmo falar com ele, ajuda-me por favor..
- Não Sarah, eu não quero e nem vou faze-lo ele não merece..

Tom olhava para ela, e para a criança que trazia nos braços, quando olha um pouco mais com atenção..e diz – Mas Sarah ele..

Ambos são interrompidos por Saki, que anda que nem um doido a procura de Bill, ele já não estaria no Bar, e a gerência do Hotel, já tinha informado os seguranças do seu estado alcoolizado.

Eu encontrava-me agora num miradouro do Hotel, a cerca de 5º andares do chão.

- Só te tenho a ti, só a ti.. pequeno copo, e ..

Eu só dizia frases sem anexo, já não via nada, apenas olhava para baixo e via partes do hotel e a piscina.

Os seguranças, Sarah e Tom, procuravam-me agora até que lá de baixo de uma das salas, Sarah vê-me no miradouro, a reacção que teve foi de pedir ao Tom, que segura-se no bebe, e correu até ao exterior.

Tom, ficou com a criança nos braços, sem perceber, mas ao vê-la correr na minha direcção apercebe-se, e começa a correr na direcção de ambos.

Ela lá de baixo começa a gritar por mim, eu encontrava-me numa das extremidades, do miradouro.
- Bill, sai dai..
- Olha quem é ela, a traidora..
- Bill sai dai, precisamos de falar..
- Falar, queres falar, pensas-te em dizer-me alguma coisa, antes de andares com outro..
- Espera Bill, deixa explicar..
- Explicar o quê.. diz-me ..que mal virei as costas ficas-te com outro, até um filho tens!!!

Eu gritava com ela, a raiva e magoa que sentia eram maiores..

- Não Bill, não percebes, não foi..
- Cala-te não te quero ouvir, desaparece..


Eu gritava e movia-me naquele pequeno espaço do miradouro, entre o varão de ferro, e um nada, uma queda através de 5 andares, me separavam do chão.

- Bill, tem cuidado, por favor, ainda cais ..sai dai..
- Desaparece, sai daqui, não te quero ver mais..
- Bill tem cuidado , B..

Ela nem acabou de dizer a frase, os meus movimentos descontrolados, faziam me agora perder o equilíbrio, e cair naquele Nada.

- Billl………!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! – Sarah gritava mas em vão.

Tom que carregava agora o bebe, estava próximo da piscina, onde o meu corpo tinha caído.

A sua aflição ao tentar salvar-me faz com que dê a criança a Sarah e atira-se para dentro da piscina.

O meu corpo encontrava-se no fundo, sem vida, e ele apenas pensa em salvar-me e tirar-me dali.

Tom sempre foi um irmão muito protector, toda a sua vida esteve ao meu lado, mesmo agora na hora da minha morte.

Ele mergulha sem pensar, nem mesmo em si próprio, ele já estava aflito, sem respirar mesmo assim, só voltou a superfície com o meu corpo.

- Bill, aguenta te Bill..
Dizia aquelas palavras, enquanto me arrastava até a margem da piscina, lá em cima estava Sarah que o ajudou a pôr-me a beira da piscina.

- Bill, por favor, volta..
Ela abana o meu corpo, a espera de encontrar um rasto de vida, mas em vão.
Eu não reagia, a nada ate que o bebé começa se a aproximar de ambos levando ela afasta-lo com palavras mais calmas:
- Não , Andrew, não.. não vejas o papa assim, ele vai ficar bom..a mamã cuida dele..

Tom, vê as suas suspeitas confirmadas, ele tinha reparado, que a criança tinha o mesmo sinal de nascença que Bill, e fisicamente eram parecidos.

Naquela hora apenas preocupava salvar Bill, e ele não disse nada.
Saki chega ao local com a equipa de paramédicos, e começam logo a efectuar massagem cardíaca.

O meu corpo, voltava a não reagir, até que ela começa a chorar junto de mim.

Ela agarrava o meu corpo magro e frágil, os médicos diziam que não havia nada a fazer.

- Menina por favor, deixe os médicos, infelizmente já não a nada a fazer…
- Não, não, EU NÃO O VOU PERDER LARGUEM ME..
- Bill ( ela agarrava-me)eu sei que tu me estás a ouvir, eu..( ela chorava e falava desesperadamente), eu nunca te trai Nunca…
Eu ainda te amo, sempre vou te amar, não me deixes por favor, por mim, por NÓS , pelo nosso filho..( diz estas palavras e cai sobre o meu peito sem forças)

Tom ficava preplexo a assistir a toda a está cena, apenas teve tendência em proteger o pequeno Andrew, como se do próprio Bill se trata-se.

De repente, sem explicação, um sopro de vida passa por mim, voltando-me a fazer respirar de novo.

Os médicos caiam sobre mim, colocando-me tubos, para que aquele rasto de vida, não se apaga-se.

Sarah olhava nos meus olhos, e chorava de alegria, ela apercebeu-se que eu a tinha ouvido, e que por eles quis voltar.
Uma lágrima cai-o do meu rosto, por entre as mascaras e tubos agora ligados a mim.

Já no hospital, desmaiei e só acordei passado umas horas.

Ela estava junto a mim, adormecida a segurar na minha mão, já deviam ter passado umas boas horas, e o cansaço falava mais alto.

Eu tento-me mexer ligeiramente, e ela acorda.

- Bill..tu acordaste..( ela faz um sorriso rasgado).

Eu tentei esboçar um sorriso, mas quase sem efeito, mesmo assim, ela percebeu,

- Bill, eu tenho que te explicar, aquele.. aquele homem não é meu marido, apenas um primo que veio da Suiça, e estava me a ajudar a cuidar do pequeno Andrew, ele…ele é teu filho.
Sei que o devia ter dito, mas não queria que abdicasses da tua carreira por nós, eu seria incapaz de destruir o teu sonho..

- Não..( disse eu com algum esforço e muito baixo),o meu sonho é estar contigo..eu..

Nisto entra o meu irmão Tom, com um sorriso, ao ver-me acordado, com o pequeno Andrew nos braços.

- Mano, tu estás bem?

Fiz sinal que sim, com a cabeça, e vejo o bebé a querer sair do colo do Tom, e a querer vir para junto de mim.

- Papaa..( dizia o pequeno Andrew, lançando-se agora para mim)

- Mas, como é que ele ..– ( perguntei eu dificilmente)

- Eu sempre lhe mostrei quem eras, tenho varias fotografias tuas pela casa, eu explicava, que o papa, estava a viajar, mas que um dia voltava.. – ( ela ia corando, a medida que me respondia).

- Mas tu sabias que eu podia não voltar.. – disse eu.

- Mas eu nunca te esqueci, cada vez que o Andrew sorria, cada vez que olhava para mim, era a ti, que eu via.. queria tanto ter te contado, mas não foi capaz.

O bebé estava agora no meu colo, sorria, os seus olhos rasgados eram tão espresivos como os meus.

Ele tocava-me com uma grande inocência e dizia . . papaaa..

Eu de inicio até estranhei, mas depois .. depois só me apetecia ficar assim para sempre, com ela..com a minha família.

Por isso fiz um esforço para me sentar na cama, o meu irmão ajudou-me, e assim fiz o que mais desejava.

- Sarah queres casar comigo?

By: AngeL


[right]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: 1000 oceans   Hoje à(s) 1:08 am

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
1000 oceans
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» While Heaven Wept - Vast Oceans Lachrymose
» Onkyo DAC-1000
» Tech 21 VT Bass 1969 e VT Bass 1000
» Post de numero 1000!!!!!
» Diferenças dos HArtke LH 500 X LH 1000

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
TokioHotelFanArtist :: FanArtistArea :: One Shots-
Ir para: