Adoras desenhar?Os Tokio Hotel?Fazes bonecos de cada elemento da banda?Mostra no TokioHotelFanartist as tuas artes 'bout them!
 
InícioInício  PortalPortal  FAQFAQ  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  LoginLogin  

Compartilhe | 
 

 Tom Tears

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
AngeL



Mensagens : 16
Data de inscrição : 17/11/2008
Idade : 31

MensagemAssunto: Tom Tears   Sab Nov 22, 2008 2:05 pm

Drama /Romance

Nesta OS´s, podes observar o mundo deles, apartir de outra realidade, uma que acredito que seja possivel, espero k gostem da historia.

beijinhos


Tom Tears

Encontrou me novamente no tour bus, a caminho da próxima cidade, já não sei quanto tempo vou aguentar assim, o sofrimento e a angústia que trago comigo, faz questão de não me abandonar por mais que eu deseje.

Não me sinto bem há tanto tempo, e parece que ninguém vê, ou simplesmente ignorara toda está situação.

Por vezes queria que ele visse…sim ele …a pessoa que mais amo no mundo, a outra metade de mim, mas parece que apenas vê o mundo lá fora, e não nota que estou a sofrer.

Queria falar…chorar no seu colo, mas parece que está demasiado ocupado com aquele Mundo.

Um Mundo de plástico, de sorrisos falsos, e pessoas ocas, que apenas te admiram por aquilo que representas e tens…e nem se dão ao trabalho de te conhecerem como eu te conheço desde que nascemos.

Por vezes quero Gritar…Olha para mim…estou aqui, a sofrer…todo este tempo, esquece a fama, esquece estas pessoas de falsos moralismos e afectos, caminha para junto de mim, vamos desaparecer, com a mesma facilidade que surgimos.

Parece que não me amas, como de antes, onde está aquela pessoa, a qual eu olhava no espelho e me via, onde está o resto da minha alma, que a natureza fez questão de separar em dois corpos.

Onde está o meu irmão, aquele que em tempos partilhava as suas emoções comigo, sem necessitar de palavras.

O meu sorriso apagou-se há tanto tempo..será que não reparas-te …Acorda..desperta …sai desse mundo antes que te percas para sempre.

Eu estive sempre ao teu lado, apoiando, protegendo-te durante todos estes largos anos.. e a mim…todos se esquecem, ninguém está ao meu lado..nem mesmo Tu..receio ter que acabar com tudo, pois não aguento mais..



Olho novamente para o PC, leio cada letra que acabei de escrever, todos dormem, e apenas o motorista do Bus segue viagem.

O relógio já aponta 5 da manhã, não consigo ter uma noite decente de sono há semanas, fechei o documento no PC, escrevo desde que o Bill foi operado, para poder desabafar com alguém, mas ninguém se quer desconfia que tenho este pequeno “ diário”.

Vou para a casa de banho, fecho a porta desta, e deixo a água quente a correr, tiro a roupa e ponho me debaixo daquela água, firmo as mãos gélidas na parede húmida e baixo a cabeça, ali fico alguns minutos a sentir a água a cair do chuveiro, a melancolia volta, e por breves momentos, curtas lágrimas caem do meu rosto.

Penso para mim mesmo, que esta é a minha única hora de alívio, visto que não me permito a mim mesmo, chorar ou demonstrar outro tipo de emoção quando estou com os outros.

Os dias continuam a passar, e mudas a cada dia que passa, fico triste e mal reparas.

Gustav e Georg penso que já tiveram dias melhores, vejo por vezes nos seus rostos, a indignação e a raiva originada pela falta de louvor por parte dos fans e impressa, onde se vê o seu eterno esforço e empenho, e a falta de apoio por parte de muitos, para quem trabalha tanto.

O meu nome, e o do meu irmão, aparecem vezes sem conta, por vezes sufocante, e o deles mal surge.

Os dias passam, hoje é o dia do nosso aniversário, fazemos 19 anos, vi-te ainda a por o boné, enquanto abria a porta da tua suite do Hotel.

Caminhamos juntos até ao primeiro andar onde servem os pequenos-almoços.

Vejo a equipa da tokio hotel TV aproximarem se, eles são uma boa equipa, mas confesso que começo a ficar cada vez mais farto de estar constantemente a ser seguido por câmaras.

As empregadas de mesa do Hotel aproximam-se em conjunto trazendo consigo um pequeno bolo de chocolate, para nós.

Vejo que Bill, tal como eu, desejou mais do que tudo, estar simplesmente com a família, e amigos, começo a cortar o bolo, ironicamente a faca é bem maior que este, e acabo por cortar uma fatia minúscula, fazendo o meu irmão sorrir .

Ele pega delicadamente na colher, saboreando cada pedacinho de bolo da pequena fatia, e uma lágrima cai mesmo do seu rosto.

A minha vontade era de abraça-lo e chorar com ele, parecia que finalmente tinha o meu irmão de volta.

Tivemos com os outros membros da banda, e com algumas pessoas da equipa, e durante a tarde simplesmente apanhamos banhos de Sol.

Nem roupa tínhamos para banho, ali ficamos simplesmente a sentir os raios de sol a penetrarem na nossa pele, sabia tão bem, tinha saudades de sentir esta paz.

Sem câmaras e fans e gritarem, nem fotógrafos, simplesmente nós e o mar.

O meu irmão está voltado para a outra cadeira, apetece-me tanto dizer-lhe o que sinto, penso que esta é a oportunidade.

Olho para ele, e levanto-me ligeiramente da cadeira.

- Bill,eu.. (aguardei um pouco, respirei fundo) eu preciso de falar contigo…Bill estás a ouvir?



Olhei para o seu rosto pálido, e delicado, debaixo dos óculos de Sol, ele encontrava-se com os olhos serrados, dormitando suavemente com a respiração calma.

Sorri para ele, apesar de desejar que esteve-se acordado.

Olhei para aquele mar, e fechei os olhos voltando a sentir o sol quente na minha pele, do nada ouso a sua voz, calmamente perguntar o que quero, e abro os olhos, sorrio e levanto-me da cadeira.

- Bill, pensei que estavas a dormir..

- E estava, mas tive a sensação que precisavas falar comigo..

- Sim preciso, bem eu..

Um fotógrafo surge no horizonte, junto a linha de água e interrompe a nossa conversa, Tobi desloca-se agora a passos largos tentando alcançar este, mas em vão.

Este pede desculpa pelo acontecido, e pede por uma questão de segurança, que voltemos para o interior do Hotel, deixando assim a praia de L.A para trás.



Durante a tarde, não consegui falar com ele, teve todo o tempo com David Josh compondo algumas linhas das próximas canções, e confesso que nem tive paciência para me juntar a eles.

Foi para a minha suite e voltei a escrever mais umas linhas no meu “ diário”, de como quase consegui falar, e novamente o fracasso.

Parecia que nunca conseguiria ter aquela conversa.

Por isso, resolvi mudar os nomes e certos pormenores que me denunciassem, e postei simplesmente num fórum que continha algumas histórias, pensariam que se tratava de apenas mais uma, e por isso eu não teria problemas, com alguma sorte, conseguiria alguns comentários, e assim, algumas novas soluções para todo este caso, porque afinal por vezes apenas necessitamos de uma segunda opinião.

Os dias passaram, ganhamos um grande premio de MTV, o primeiro para uma banda tão jovem e alemã, mas mesmo assim, tudo aquilo parecia pouco para mim.

A banda sorria para os fotógrafos e mostrava a estatueta conseguida, eu acompanhava, mas mal sorri, aquelas pessoas de plástico voltavam assim como as suas palavras vagas e fúteis de falsos méritos, fiquei na after party, bebi e não aguentando mais retirei-me.



Bill notou a minha ausência, mas a fama e aquelas luzes fizeram-no esquecer e permanecer mais um pouco naquele Mundo.




(continua) posterei o resto brevemente Shocked Smile
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Bill'zinha<3



Mensagens : 47
Data de inscrição : 16/11/2008
Idade : 23
Localização : With Bill in Kaulitz'land x')

MensagemAssunto: Re: Tom Tears   Sab Nov 22, 2008 7:52 pm

Hey quero o resto O.O
Está linda =)

MAISSSS : )
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Tom Tears   Dom Nov 23, 2008 5:27 am

LINDO , LINDO LINDO ! MAIS ! *______*
Voltar ao Topo Ir em baixo
AngeL



Mensagens : 16
Data de inscrição : 17/11/2008
Idade : 31

MensagemAssunto: Tom Tears - Contnuação   Seg Nov 24, 2008 8:00 am

Naquela noite não dormi até ele voltar, limitei a olhar o mar, pela grande janela da minha suite.

Escrevi novamente, e reparei que tinha o meu primeiro comentário.

Sorri para mim mesmo e respondi.

No dia seguinte Bill e Georg estavam de ressaca, tinham bebido de mais, e Gustav levantou-se cedo como sempre para correr na praia, mais dois seguranças discretamente.

Foi ter a porta do quarto de Bill, bati, e uma lamúria vinda do seu interior fez notar a sua presença.

Os seguranças já me tinha informado do seu estado, por isso insisti.

Pedi ao Tobi a cópia da chave, e um dos seguranças veio me entregar.

O quarto estava escuro e tinha roupa espalhada por todo o lado.

Aproximou me da cama, e chamo o seu nome.

- Manda-o parar, quero dormir… (uma voz feminina por entre os lençóis denunciava mais uma pessoa naquela cama).

Olhei espantado para a cama e para aquelas formas a moverem-se por entre os lençóis.

Dei um passo para trás, e vejo o braço do Bill surgir por entre os lençóis tentando alcançar a mesa de cabeceira..

- Tom, sai daqui, não vês que estou ocupado. (disse aquilo num tom rabugento e autoritário).

Olhei para a cama e afastei-me ainda mais, acabando por sair, ouvi ele ainda dizer aquela mulher..

- Não ligues querida, ele já saiu, a ver se aquele traste não nos chateia..

(Ouvi uma gargalhada abafada, e risinhos maldosos, desejando simplesmente não ter ouvido tal coisa, mas a dor aumentava ainda mais, pensei – ele está só bêbado – mas eu sabia que não ia ser assim tão fácil ignorar)

Voltei para a minha suite, e novamente chorei em silêncio deixando lágrimas escorrerem pela minha face involuntariamente.

No computador descobri uma forma de aliviar aquela dor escrevendo cada vez mais, o que sentia, e ouvido a opinião dos outros.



Passava agora cerca de um mês, e estávamos na Alemanha a preparar o novo álbum.

Soube que Bill tinha dormido naquela noite com a Nicole das PCD, pensei para mim mesmo, o quanto otário ele tinha sido, não vendo que ela não passa de uma oportunista, quando falei com ela antes dos prémios em 2005 e em 2007 gozou e mal ligou, mas agora ao ver que temos dinheiro e fama, parece que já somos diferentes.

O tolo do meu irmão não vê o que se passa, apenas está deslumbrado, felizmente para nós estamos no estúdio, e os dias tem sido melhores.

Recebemos as visitas da nossa família e amigos, e assistimos a alguns concertos, eu estava mesmo a precisar, respiro de alívio finalmente.

Mais uns dias passam, e o meu irmão passa cada vez mais tempo ao espelho, e a falar com algumas novas amizades.

Um dia após eu ter ido a casa da nossa mãe, vejo ele a regressar a casa, com a cara inchada.

Corri para ele, e pergunto o que se passa, mas ele não consegue falar e reparo que sofreu uma pequena cirurgia a dentição, a fim de colocar uma prótese( pequenas coroas de porcelana), a disfarçar os seus salientes dentes.

Compreendi que os quisesse arranjar, mas colocar prótese, para que o efeito fosse mais rápido, não me pareceu uma melhor opção.

Passaram mais dois dias e conseguia falar normalmente, apesar das dores, próprias da cicatrização.

Reparo que após anos a usar o mesmo piercing na sobrancelha, também decide colocar um mais moderno, e que começou a tomar uma atitude diferente em relação a banda.

Tento fingir que não vejo, e mais uns dias passam.

Vamos fazer uma pausa na gravação do nosso álbum, e partimos para o México, para a entrega de prémios latinos.

Nessa noite voltamos a ganhar mais 4 prémios, o que para nós foi óptimo.

Mais uma vez todos repararam no meu irmão e esqueceram-se dos outros elementos. Não é que tenhamos ciúmes, mas por vezes é cansativo ser sempre ele, e por exemplo não repararem no Georg e no Gustav que são sem dúvida excelentes músicos.

Nessa noite Bill resolveu comemorar em privado, com outra qualquer famosa que por lá encontrou.

Voltei para o meu quarto e mais uma vez, umas linhas escrevi.

Havia cerca de quatro pessoas que comentavam e aconselhavam caso pudessem alterar a história, ignorando que se tratava de um caso verídico.

Havia principalmente duas raparigas, uma da Inglaterra e outra da Alemanha, que me chamavam a atenção.

Nós trocamos os mails, não revelando eu a minha identidade.

Uma delas parecia fascinante, parecia que me apoiava e ouvia, e pelas fotos muito bonita, já a segunda uma boa amiga, conselheira nunca revelava quem era.

Pensei que tal como eu se escondia atrás de um nickname, mas gostava a mesma dela e da amizade conquistada.

Voltamos dali a uns dias, para a Alemanha , e dou por mim, a ver o Bill, a investigar na net clínicas de beleza afim de realizar uma cirugia.

Pensei que tinha de por um travão naquilo tudo, e acabei mesmo por discutir com ele, e sai do nosso apartamento e foi para a casa da nossa mãe.

O seu pior defeito, era só fazer o que queria, e não ouvindo assim ninguém, por muito errado que estivesse.

Deixei para trás o compromisso do nosso álbum, e tirei umas ferias sozinho, para bem longe dali.

Cheguei a Inglaterra, e a 1º coisa que fiz foi cortar o cabelo, para que a minha presença não desse nas vistas, eu estava tão farto de tudo aquilo.

Escrevia paginas atrás de paginas e aquelas amigas iam me ajudando mais do pensavam.

Um dia lembrei-me que uma daquelas raparigas vivia a umas horas de onde eu estava, por isso decidi marcar um encontro pelo msn, e foi ter com ela.

Pelas fotos que me mandou não seria difícil reconhece-la.

Estava numa das praças mais populares da região, e limitei-me a olhar para o céu enquanto aguardava pela sua chegada.

De uma escadaria ela surgia mais bonita que nos retratos, envergava consigo uma grande gabardine cinzenta, e um guarda chuva, para a protegerem da chuva que se aproximava.

Ela depressa reparou em mim, tínhamos combinado que eu levaria uma blusa vermelha, até a data eu também não tinha enviado foto.

Apesar do meu mau inglês lá a cumprimentei e para minha facilidade, ela era tradutora e mais velha apenas 2 anos que eu, sabia alemão e francês o que facilitou a nossa comunicação.

Fomos para um café tomar chocolate quente, sabia tão bem, estar com alguém novo, jovem, alguém que me visse por aquilo que sou e não pela fama.



Falamos durante horas, tal e qual como na net, a chuva lá fora fazia questão de notar a sua presença por entre relâmpagos e trovoadas.

O ambiente do café era ainda mais acolhedor, e quando demos por nós a noite já tinha caído.

Dei-lhe um simples beijo na face, e foi para o hotel, e ela para a sua casa.

Mais dois dias e estivemos juntos de novo, e na semana que se seguiu.

Eu estava a gostar tanto de a conhecer e viver como um simples jovem da minha idade.

No meu telefone era dezenas de chamadas não atendidas, assim como a caixa de e-mail.

A banda precisava de mim, mas eu não me apetecia voltar.

Mais uma semana passou e numa das noticias da net, vejo que Bill fez mais uma tatuagem.

Uma lágrima de preocupação e saudade, voltava a surgir.

Olhei para o céu, para aquelas estrelas, como será que estás Bill?

Será que sentes a minha falta??

Nessa noite fomos ao cinema, eu e a Mandy, saímos praticamente todas as noites, e acho que estava a começar apaixonar-me por ela, ela trazia um vestido azul céu, e umas botas a condizer com a fiel gabardine que a acompanhava sempre.

Nessa noite após o cinema fomos a um bar discreto tomar uma bebida ela parecia corresponder ao meu sentimento, por isso beijei-a pela primeira vez.

Como eu desejava aquele beijo, a tanto tempo, ela fazia sentir tão bem.

Fomos no táxi abraçados e acabamos no quarto de Hotel, senti-me um pouco tonto, e nem sei dizer o porquê.

Fomos no elevador, até ao 8º andar por entre beijos e carícias, e acabamos entre lençóis, onde pode tocar e sentir todo aquele corpo no meu.

A minha cabeça estava um pouco pesada, mas nem liguei.

Na manha seguinte, acordo com mais uma chamada do meu telemóvel.

Olhei para o visor, e vejo que é um dos directores da banda.

Como já não dizia nada a ninguém a tanto tempo, lá atendi a chamada.

Ainda meio ensonado com a cabeça quase a cair da cama, ouso aquela voz ao longe, que me faz despertar.

A voz dizia que eu era um irresponsável, e que desta vez tinha passado todos os limites, a minha cabeça pesava ainda e quando tento focar algum ponto no quarto, via todo nublado e acabei por desligar a chamada sem perceber o que se passava.

Pensei para mim mesmo que não tinha bebido praticamente, e que não havia razão aparente para aquele mau estar.

Com a minha mão, começo a procurar por ela, mas para minha surpresa a cama estava vazia, não compreendi a sua saída repentina, visto a fantástica noite anterior.

Caminho atribuladamente, com passos lentos até a casa de banho, o meu campo de visão tinha melhorado vagamente, o que me permitiu conseguir caminhar sem bater em nenhum objecto que estivesse mais próximo.

Na casa de banho, lavo a cara, a água fria faz me despertar mais um pouco, a minha cabeça continuava a pesar tanto.

Volto para o quarto, sento-me na cama, e ligo para o director, afinal eu não tinha percebido nada.

- Tou, Wolf que se passa? ainda a pouco, não percebi nada..

- Não percebeste meu grande irresponsável, para além de abandonares a banda, ainda proporcionas um escândalo destes.

- Escândalo?? Qual escândalo??

- Não te faças de parvo, se te querias vingar era melhor teres arranjado outra maneira.

- Mas eu não estou a perceber nada.

- Tom, não estou com paciência para ironias, vê-se se ganhas vergonha na cara e voltas, que tens muito para fazer.

Desliguei o telefone, sem perceber nada, voltei para a casa de banho, enchi a banheira e mergulhei-me lá dentro.

Fiquei cerca de uma hora, a pensar em todos os meus problemas, quando dou por mim, a água estava gelada, vesti o roupão e sentei-me na cama.

Passei as mãos pela testa, e foi me vestir.

Sai do quarto, e reparei que a medida que eu caminhava, algumas pessoas riam baixinho a minha passagem.

Não percebi, mas continuei, a minha cabeça estava melhor, e caminhei até a rua para me dirigir a um café, para comer alguma coisa, visto que a hora do pequeno almoço já tinha passado á muito.

Antes de entrar no café, olhei para um pequeno quiosque que se encontrava mesmo perto da entrada, e para minha surpresa, a minha foto, vinha numa serie, de jornais e revistas cor de rosa.

Compro algumas e entro no café, nem queria acreditar no que os meus olhos viam.

Varias fotografias minhas e da Mandy, durante todo o tempo que estive com ela, pensei por momentos que ela estaria inocente, mas ao prestar mais atenção vi, que ela se fazia de vitima, e que eu a tinha obrigado a varias situações, uma delas a ter levado comigo para o quarto.

Ela acusava-me de alguns crimes, e a reportagem falava ainda de um suposto vídeo.

Fiquei apavorado, não bastava a traição por parte dela, como toda está encenação , afinal ela sabia quem eu era todo este tempo e apenas me usou.

Caminhei de volta para o hotel, tentei falar com ela, descobrir onde ela estava, mas parecia que tinha desaparecido do nada.

Primeiro o meu irmão, agora ela, não existem palavras para descrever o que estava a sentir.

Foi a internet tentar descobrir qual o vídeo que falavam na reportagem, e nem queria acreditar nas imagens que agora via.

Afinal aquela dor de cabeça, não era originada pelo álcool, mas sim por uma droga que ela me tinha dado, submetendo-me as mais varias humilhações, e fazendo de mim, uma pessoa horrível.

Pensei que tinha que voltar para a Alemanha, o meu irmão estaria ao meu lado, tinha que estar e apoiar-me, ou eu não iria suportar.

Voltei e a primeira coisa que fiz, foi telefonar para um advogado para me defender e expliquei o que realmente aconteceu.

No caminho até a nossa casa, que ficava mesmo por cima do estúdio, o meu coração parecia que ia saltar pela boca de tão grande que era a minha aflição.

Eu tentava respirar fundo quase em vão devido aos nervos.

Pensei: “ Tem calma Tom, todo se vai resolver..”

Encontrava-me a uns escassos metros da entrada do estúdio, olhei e fechei os olhos por breves instantes.

Entrei, e a primeira pessoa que vi foi Gustav, que sorrio e disse:

- “ É bom ter-te de volta meu..podes contar comigo” – e apertou-me a mão, puxando-me e deu-me um abraço apertado.

Assim que o larguei senti uma mão firme no meu ombro, sorri para mim, e disse: - Bill..(suspirando).

Mas não , era simplesmente o meu amigo Georg, uma das melhores pessoas que conheço, mas que nunca tive coragem de lhe contar o que se passava comigo.

Ele abraçou-me tal e qual um irmão mais velho.

Confesso que não me contive e pela primeira vez chorei em seus braços.

- Tom, estão todos furiosos contigo, mas aposto que tens uma boa explicação para todo isto, cá para mim foi uma armadilha não foi?? – Disse Gustav, como quem demonstra mais uma vez, que eu podia contar com ele.

- O Bill, onde está o meu irmão??

Os seus rostos fecharam-se, os sorrisos apagaram-se, e desviaram o olhar ficando em silêncio.

- O Bill, onde ele está??o que é que aconteceu..

- Tem calma Tom, ele está aqui perto, vamos te levar a ele.

- O que é que aconteceu..eu não ouvi falar de nada..( disse num tom de desespero e angustia)Levem-me até ele..( ordenei)




continua....
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Billinha



Mensagens : 7
Data de inscrição : 03/11/2008
Idade : 22
Localização : Vila Real :x

MensagemAssunto: Re: Tom Tears   Sex Dez 05, 2008 10:42 am

Spoiler:
 

Li tudo do inicio ao fim e axei mesmo perfeito!
escreves muito bem e as tuas ideias sao optimas....

lamento imenso o k akontece ao Tom desta ONeShot, e ainda doi mais sabendo k algumas destas coixas podem ser reais como dixeste!

mas bem... pa kero mesmo ler o fim!

e ja sabes continua, tens imenso talento! Wink

Kiss<3<3<3
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Tom Tears   Hoje à(s) 1:08 am

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Tom Tears
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» NSC XXXIII - 'Tears dry on their own' de Amy Winehouse
» Que música você está se sentindo hoje?
» Letra: Heal the World
» Uma Lista de Lps que me apareceu por aqui.
» Rádio Zubrycky.

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
TokioHotelFanArtist :: FanArtistArea :: One Shots-
Ir para: